segunda-feira, 6 de agosto de 2012

Divulgação

Titulo: abaddon
Autor: Rui Madureira
Edição: Junho 2012
Páginas: 597
Preço: 20.70€
Editora: Edium Editores
 
Rui Madureira nasceu a 13 de Dezembro de 1985, uma sexta-feira treze que decerto terá alimentado a enorme paixão que nutre pelo fantástico. Formou-se em Psicologia na Faculdade de Psicologia e Ciências da Educação da Universidade do Porto, onde concluiu o ciclo de estudos conducente ao grau de Mestre na área de Psicologia Clínica e da Saúde. O cinema e a literatura, porém, foram desde sempre as suas grandes paixões. Acima de tudo, sempre desejou ser um contador de histórias. Fosse por que meio fosse, sempre almejou tornar-se um narrador de grandes contendas e aventuras inesquecíveis. Assumindo o papel de crítico de cinema, escreve regularmente para o Portal Cinema e o SCIFIWORLD PORTUGAL, dois sítios da internet dedicados essencialmente à 7ª Arte. Tem também a seu cargo uma coluna bi-mensal no jornal regional Maia Hoje, onde publica crónicas variadas relacionadas com o cinema. Algumas das suas críticas cinematográficas foram publicadas em revistas como a Premiere e a Fórum Estudante. É autor de dois contos não publicados, um dos quais recebeu o terceiro prémio de um concurso literário organizado pela Faculdade de Letras da Universidade do Porto.

Abaddon é o seu primeiro romance literário. Encontra-se de momento a trabalhar num segundo romance com título ainda indefinido, “Neste momento estou a trabalhar num segundo romance, identifica-se como uma espécie de história fantasma”, avançou o autor,  baseado num argumento para cinema também da sua autoria.


Sinopse

Sedento de poder e cegado pelo seu próprio orgulho, Lucifer - o primeiro anjo criado por Deus e o mais belo de toda a estirpe celestial - decide rebelar-se contra o Pai divino após a misteriosa e muito polémica criação do Homem. Persuadindo uma enormíssima falange de anjos guerreiros com as suas ideias de revolta e usurpação do trono divino, o primogénito dos anjos avança sobre as muralhas do imponente palácio de Deus com um vasto exército de anjos rebeldes nas suas costas. Porém, travado pelas brilhantes tácticas defensivas dos Arcanjos Michael, Gabriel, Raphael e Uriel, Lucifer acaba por tombar e ver os seus desígnios megalómanos cortados pela raiz, sendo aprisionado no Inferno para toda a eternidade conjuntamente com os seus seguidores. Os milénios passam, mas nem por isso o revoltado Príncipe dos anjos esquece a sua sede de vingança. Pretendendo desforrar-se do ser humano e do Pai que o deserdou, começa desde logo a arquitectar uma invasão ao reino do Homem com a ajuda do demónio Abaddon, a única criatura capaz de despoletar o Apocalipse em solo terrestre. E como tentativa desesperada de evitar o fim do mundo, Deus envia o Arcanjo Gabriel à Terra com a incumbência de liderar uma legião de guerreiros celestiais capaz de fazer frente ao Diabo e às suas hostes de monstros oriundos do Abismo. Poderá o Homem salvar-se no seu maior momento de provação? Ou sucumbirá para sempre ante as trevas orquestradas pelo colérico Rei do Inferno?

Aceitei com todo o gosto empreender a leitura deste seu primeiro romance, sobretudo porque me agradou imenso a sinopse e também porque é sempre um prazer divulgar um autor português.



2 comentários:

Pedro disse...

Allos allos amigo!

Também tenho aqui por ler (assim que despachar a saga do Martin, está quase). Parece ser bastante interessante, quando entram tantos elementos bíblicos numa história deixa-me sempre entusiasmado (pondo de parte a religião, acho que as personagens e histórias da Bíblia seriam capazes de inspirar mil e um bons romances como este). É um grande calhamaço, espero que seja bem aproveitado.

Abraço grande! (ainda estou a aproveitar os últimos dias de férias)

Iceman disse...

Grande amigo Pedro!
Olha, este livro despertou-me a curiosidade. Embora confesse que não me agrada muito o género fantástico, pareceu-me ser esta obra mais do género de horror. E acertei!
Já passei a página 200. Estou a ler aos poucos e, para além de ser um livro denso, há coisas que não me agradam e outros que estou a gostar.
Mas enfim, hei-de depois escrever a opinião.
Continuação de boas férias.
Grande Abraço!