terça-feira, 28 de maio de 2013

Uma Noite em Lisboa – Erich Maria Remarque



Uma Noite em Lisboa é o último trabalho de um grande escritor alemão que, exilado em 1933 devido ao regime nacional-socialismo, viu os seus livros serem atirados para a fogueira por um regime que o via como um incomodo e que dizia ser ele descente de judeus, algo que nunca se comprovou. 

Erich Maria Remarque é autor de uma fabuloso livro, “A Oeste Nada de Novo”, onde narra o dia a dia de um soldado alemão nas trincheiras da Grande Guerra. Livro auto-biográfico, pois Remarque lutou nas trincheiras e foi ferido por diversas vezes, aborda a dureza da guerra e o fim das expectativas e da crença que levaram milhares de soldados a lutar por um ideal utópico que levou a Alemanha a um pós guerra caótico e que esteve na base do surgimento do regime nazi.

Este presente livro situa-se nos primeiros anos da 2ª Guerra.

Lisboa, um homem olha demoradamente um navio que está prestes a embarcar para o El Dorado, para o único local onde a salvação é possível: Estados Unidos.

Sem esperanças de um visto e sem dinheiro para o bilhete, este homem sabe que a sua vida depende de poder ou não embarcar. Sentindo-se vigiado , começa a afastar-se do cais e apercebe-se que é seguido por outro homem, iniciando-se aí uma narrativa pungente que aborda o amor de um homem pela sua mulher e uma Europa devastada pela hipocrisia e pelo medo.

Não vou dizer que achei o livro fenomenal. Lê-se muito bem porque, de facto, Remarque foi um escritor de excepção, no entanto o relato aborda um assunto muito debatido e escrito, existindo milhares de relatos semelhantes e com centenas de protagonistas.
Gostei mas não adorei.

1 comentário:

Helena Pedroso disse...

A mim marcou-me. Li-o durante este fim de semana, fiz ponte, e ainda não parei de pensar nele. Achei-o muito bem escrito.