segunda-feira, 3 de fevereiro de 2014

Há autores

que, se calhar de uma forma inconsciente, possuímos um sentimento de antipatia derivado de várias factos ocorridos ao longo do tempo, quer sejam entrevistas, posições políticas, de opinião, etc.

Eu, já o admiti em diversos locais, há um autor cuja minha antipatia é imensa, só de olhar para o homem vem-me logo o fel à boca tal a embirração que sinto por tal ser. Aquela postura abestalhada fumante lunático, parecendo, em cada entrevista que lhe vi ou li, estar a gozar com os leitores, a sua postura face aos outros autores que, aqui e ali, vai menorizando como se fosse ele o único escritor de qualidade à face da Terra, é algo que acho asqueroso e, obviamente, isso tem repercussões na minha postura face aos livros desse autor, pois e embora já o tenha tentado por diversas vezes, não consigo ler qualquer obra sua, aliás, nem consigo chegar à página 100.

Nestes últimos dias tentei pela enésima vez.

Peguei o “Cú de Judas” do execrável António Lobo Antunes e não consegui avançar para além da página 50 tal a insanidade de texto. Perdoem-me a imensa legião de fãs do autor, mas acho o homem um péssimo ser humano. Não o conheço de lado nenhum, apenas faço esta constatação pelas entrevistas que já li e vi e pela sua postura face aos outros autores. Aliás, foi o único escritor que um dia vi dizer que tal livro de tal escritor era lixo. Mas a sua escrita densa, feita de descrições vagas, de analogias figurativas e labirínticas que nos enviam de um lado para o outro, por vezes sem grande coerência, é algo que me aborrece. 

No entanto, admito, a minha postura é mais pela embirração que sinto pelo homem.

Até arrepia!

19 comentários:

WhiteLady3 disse...

Também não posso dizer que tenha grande simpatia pelo senhor e até agora não tentei ler nenhum dos seus livros. No entanto li uma crónica, e fui recomendada a ler os seus livros de crónicas antes de me atirar às suas restantes obras, e pasme-se até fiquei agradada. Já tentaste ler alguma? Pergunto porque pode ser que a postura seja diferente. Postura do próprio autor, entenda-se, no que toca à escrita ou ao que pretende comunicar. Não sei se me faço entender. :/

Filipe de Arede Nunes disse...

Os Cus de Judas é o meu livro favorito de Lobo Antunes. É dos mais simples (dos que li) talvez a par de Conhecimento do Inferno.
Não tenho opinião sobre a pessoa - não o conheço.
O escritor, esse, é, provavelmente, brilhante. Difícil, complexo - sobretudo no seu discurso fragmentado - mas com momentos de verdadeiro génio. A capacidade que demonstra na narração da profundidade humana é fabulosa.

Abraços,

Rui Bastos disse...

Compreendo bem o que sentes. Não especificamente com o Lobo Antunes, mas também consigo ter ódios de estimação que nada têm a ver com os livros. E admirações enormes sem nunca ter lido nada da pessoa.

Paula disse...

Gostei do post!! Aprecio este tipo de crítica/opinião directa como sabes :)

Quanto a ALA já li um livro dele e por acaso gostei. Mas a escrita é muito densa sim.
Abraço

djamb disse...

Sei o que queres dizer, embora este autor em particular não me dê essa sensação.
Sinto isso com o Rodrigues dos Santos. Não há forma de eu conseguir concordar com ele ou não sentir a dita antipatia. Até os livros dele me demonstram um certo carácter de 'wannabe' que me enerva.
Escusado será dizer que já tentei ler algumas páginas, mas esta sensação foi mais forte que eu. Por que não dedicar esse tempo a um autor de que goste? ;)
Boas leituras!

Iceman disse...

Olá White!
Sim, já tentei ler algumas das suas obras, pois um autor com tanta fama tem de ter alguma qualidade, penso.
Mas embirro com o homem e quando estou a ler os seus textos só consigo visualizar aquela postura de gozo que, pessoalmente acho, demonstra em todas as entrevistas.

Iceman disse...

Oh Filipe, acredito no que dizes, mas não consigo ver esse lado de génio no homem.
:)

Iceman disse...

Rui.
Ódio de estimação confesso que é só com esse senhor, de resto dou sempre o benefício da dúvida e nunca me deixo levar pelo homem, quer sejam as suas opiniões ou inclinações políticas.
Mas neste acho irritante a sua postura e sobretudo no que respeito ao respeito que demonstra não ter pelos outros e pelos gostos dos outros.

Iceman disse...

Olá Paula!
Acho que a blogosfera devia ter mais deste tipo de discussões.
Mas enfim.

Iceman disse...

djamb,
pessoalmente tenho gostado dos livros de JRS, no entanto admito que começo a ficar saturado da sua escrita e da forma "naif" como fala dos livros que escreve.
Estou a ler o seu último livro e não estou a gostar, demasiado leve para o meu gosto. Escreve muito e conta pouco.

nuno chaves disse...

Olá Iceman, gostei bastante deste artigo, pois com honestidade e sinceridade, expões o teu ponto de vista.
Quanto a ALA, de facto, não é do que mais gosto de ler, de facto é demasiado denso e por vezes, nem sei muito bem o que estou a ler. Digamos que não é bem o que mais prazer me dá ler.
Quanto à pessoa em questão, não o conheço pessoalmente, mas das últimas entrevistas que vi com ele... até nem me pareceu mauzito o senhor.
Mas este género de embirrações é normal, não se explica.
Há muitos anos que estou de costas voltadas a Saramago, um pouco quase pelos mesmos motivos.
Quanto ao "Jornalista/Escritor" tentei ler o "Codex" e juro que não consegui.

Manuel Cardoso disse...

Quando comecei a ler tive a esperança que estivesses a falar do M. Sousa Tavares :)
Em relação ao ALA não estou nada de acordo contigo. O que é estranho porque até temos gostos algo similares.
Eu sou um confesso admirador de ALA. Acho a sua escrita um exercício de liberdade. É também uma escrita profunda na medida em que provém da alma, do sentimento.
Não podemos é querer ler histórias em ALA. Ele não escreve histórias; escreve impressões,como Kandinsky ou Pollock fizeram na tela.
MAs,obviamente, aceito que não gostes. A literatura é uma arte e, enquanto tal é um espaço de liberdade.
E, não concordando contigo, gostei do post, como diz a Paula.
Abraço

Iceman disse...

Manuel, se tu o dizes...
;)
Abraço!

André Nogueira; Sílvia Pina disse...

Revejo-me completamente nas suas palavras. Mas ao contrário de si, a minha repulsa é de tal ordem que nem consigo pegar em algum dos seus livros. Só os seus títulos pseudo qualquer coisa dão-me asco! :)

Iceman disse...

Andreia, sabia que haveria alguém que me compreendia...
;)

tonsdeazul disse...

Assim que me lembre especificamente penso que o único ódio de estimação que tenho é pela Margarida Rebelo Pinto. Não a suporto e a verdade é que não me fez mal algum, mas só de a começar a ouvir falar já me faz impressão aos ouvidos...

Quanto ao ALA não conheço de todo as suas obras, pois apenas li "O Arquipélago da Insónia", de que gostei. Leio também muitas das suas crónicas e até simpatizo com o autor.

É sempre bom ler algo mais do que apenas opiniões a livros. Felicito-te por esta publicação tão frontal, muito embora como disse simpatize com o autor e até pretenda ler mais das suas obras.

São disse...

Olá, Iceman :)
Ao que sei, ele nem disse lixo, disse claramente m... :/ ... Fiquei possuída quando li! Depois perguntaram-lhe se ele tinha lido e ele respondeu que não... Enfim...

Eu tinha lido dois ou três livros dele há muitos anos e de pouco me recordava... Li O Auto dos Danados há pouco tempo e confesso que, apesar de ser daquelas obras que têm de ser lidas com atenção, acho que é um bom livro... Mas a antipatia do senhor é qualquer coisa... Ele pode ser (e acho que é) um grande escritor, mas com a postura que tem torna-se intratável! Para ler O Auto dos Danados tive que me esquecer da pessoa que o tinha escrito. É verdade que não o conheço pessoalmente, não lido com o senhor, mas falo daquilo que vejo. Compreendo que existam pessoas que o achem simpático. As pessoas são diferentes, têm empatias diferentes umas com as outras. Acredito que o senhor até nem tenha mau fundo, mas noto que tem uma maneira de ser que não se conjuga com a minha.
Em relação à Margarida Rebelo Pinto, nunca li nada da senhora, mas também não simpatizo com a maneira de ser que mostra ter... Peguei uma vez num dos livros dela que uma colega estava a ler e, das poucas páginas que li, vi que não é definitivamente "a minha onda"... Acredito que tem o seu público, e terá, senão não venderia nada e não vou desvalorizar os gostos das pessoas. Se as pessoas gostam, tudo bem, comprem, leiam :)
O Miguel Sousa Tavares é outro que eu também acho um bocado arrogante (aquela de achar que as pessoas têm pena dos touros e não têm dos pugilistas partiu tudo! Até eu que nem sou acérrima anti-touradas fiquei de boca aberta), mas não tanto como ALA

No que respeita ao José Rodrigues dos Santos, acho que sabes a minha opinião, portanto... Tenho uma forte empatia com a maneira de ser dele, identifico-me com as ideias e com a forma de escrever. Cá está: as pessoas são diferentes e por isso têm visões e empatias diferentes :)

Um abraço

SEVE disse...

Ó djamb o que é que queres dizer com um certo carácter de 'wannabe'
wannabe?

A mania dos estrangeirismos...

João Marques de Oliveira disse...

Eu também sou daqueles que não pode com o "SENHOR ESCRITOR". Só li dele "O ESPLENDOR DE PORTUGAL" a custo lá caminhando página a página até ao fim. Em minha opinião o "SENHOR ESCRITOR" tem uma forma de escrever – esquizofrénica – deve ser pelo facto de ser psiquiatra de formação. (Sem desprimor para os Psiquiatras)