domingo, 9 de agosto de 2015

Gabriel García Márquez, Uma vida – Gerald Martin



Embora não fosse um dos autores que me faziam ir a correr às livrarias sempre que publicava um livro, admiro a obra de Gabriel García Márquez, sendo que o seu livro mais famoso, “Cem Anos de Solidão”, não é de todo a minha obra preferida dele, pese embora admita que é uma obra que marca a História da Literatura e que, sem dúvida, foi talvez a principal catalizadora do Prémio Nobel da Literatura recebido em 1982.

Esta biografia que é, pese embora as suas mais de 600 páginas, uma sintese de uma biografia mais vasta que levou dezoito anos a escrever e que o autor no prefácio admita que provavelmente nunca irá publicar a sua biografia na integra, pois é imensamente grande e não tem ainda encerramento oficial, é uma das melhores biografias que já li porque consegue espelhar de uma forma clara, concisa mas muito completa, não apenas o rumo da vida do biografado como da sua família e amigos, focando igualmente as realidades políticas e sociais.

E é inegável que Garcia Márquez é um autor cuja obra é bastante influenciada pelo seu contexto familiar e social. Nascido em Aracataca em 1927, foi o filho mais velho de mais de uma dezena de filhos que os seus pais tiveram e teve uma infância marcada pela ausência dos seus pais, pois foi criado pelos avós maternos. Na sua infância estão obviamente as raízes da sua obra e o autor, de uma forma exímia, vai “descascando” toda a vida deste sublime autor como uma espécie de cebola, camada por camada.

É uma obra para quem gosta de biografias e obviamente de Gabriel García Márquez, pois irá encontrar as influências das suas obras e o porquê de ter escrito livros diferentes de todos os outros.

2 comentários:

Cristina Torrão disse...

Fiquei interessada. Gosto de biografias, principalmente, biografias de autores ;)

Miguel Chaica disse...

Eu também aprecio biografias, sobretudo aquelas que são autorizadas pelos autores.

Esta não é bem assim. Garcia Marquez tinha conhecimento e nunca se opôs mas também não contribuiu por aí além com o autor que a foi escrevendo mediante horas atrás de horas a falar com familiares e amigos e lá foi traçando a vida de Garcia Marquez.