domingo, 27 de julho de 2008

Crónica de uma morte anunciada - Gabriel Garcia Marquez

Ângela Vicário, poucas horas depois do seu casamento, é devolvida à família pelo seu recente esposo, supostamente por não ser virgem na noite de núpcias.

Assolada pela vergonha, a família de Ângela pressiona-a no sentido dela dizer quem foi o causador de tal descaramento , acabando por nomear Santiago Nasar como o causador dessa desfloração.

Completamente cegos por vingança, os irmãos de Ângela, pegam em facas de matar porcos e, informando que com eles se cruza no caminho, vão em busca de Santiago para o matarem, o que conseguem de um modo verdadeiramente atroz.

Muitíssimo bem escrito, o que é normal em Garxia Marquez, um dos factos que tornam o livro curioso e sui-generis, é o facto que desde a primeira página, sabermos que Santiago já morreu assassinado pelos irmão Vicário.

A questão aqui centra-se não no porquê desse assassinato, pois e de acordo com a sui-generis e fantástica sociedade rural colombiana parece ser normal tal acontecer, mas a questão central reside precisamente na própria crónica dessa morte que narra as últimas horas da vida de Santiago, principalmente a sua última hora.

Um excelente livro, baseado num acontecimento verídico, que considero ser até o livro ideal para entrar no mundo fantástico de Garcia Marquez. Uma história que narra um acontecimento aparentemente banal, mas é essa aparente banalidade que é fascinante. No entanto parece-me que Garcia Marquez tem o condão de tornar especial tudo o que escreve.

12 comentários:

Canochinha disse...

Foi o primeiro e até agora o único livro que li do Gabriel Garcia Marquez. Gostei mesmo muito! Agora tenho de ver se pego no "Cem Anos de Solidão" :)

Iceman disse...

Eu embora já tenha referido que não aprecio muito Garcia Marquez, a verdade é que os livros deles causam-me um fascínio especial.

Já li "cem anos de solidão" duas vezes assim como mais outros seis onde se inclue este "Crónicas".

Pessoalmente gostei muito da sua autobiografia "Viver para contá-la" e dos romances, o que mais gostei foi "Amor em tempos de Cólera", um livro muito terno.

Sofia disse...

Olá Iceman,
Garcia Marquez é um dos meus escritores de eleição. Já li quase todos os livros dele, alguns várias vezes, e nunca me canso.
O único que até hoje me desiludiu foi A Revoada, uma suposta iniciação de Cem Anos de Solidão mas que fica, a meu ver, muito aquém da sua obra-prima.
Este Crónicas é mais uma prova da sua mestria na escrita :)

João disse...

Olá Iceman

A minha tia está para oferecer-me este livro, mas nunca de decide!
Pelas críticas (incluindo a tua) e algumas passagens do livro que tive a oportunidade de ler, este parece maravilhoso.

Para não falar na reputação de Gabriel Garcia Marquez, a qual foi sempre positiva, pelo menos pela parte das pessoas a quem já perguntei.
Excelente livro!

Iceman disse...

Olá Sofia.

Penso que a "Revoada" foi o seu primeiro romance que escreveu ainda muito jovem e uma espécie de balão de ensaios para "Cem anos de solidão". Ele explica isso em "Viver para Contá-la", já leste este?

De resto eu mantenho com Garcia Marquez uma relação de amor-ódio, pela simples razão que não é dos meus autores preferidos mas que não consigo resistir à magia dos seus livros. Não sei explicar melhor este sentimento, mas é um facto.

Iceman disse...

Olá João!

Então tens de obrigar a tua tia a decidir-se, no entanto, por outro lado, sempre podes adquirir este livro da colecção da revista sábado, pois ainda o vejo nalgumas bancas.

:D

João disse...

Fixe...
Obrigado pela sugestão!

Sofia disse...

Bem sei que para uma fã como eu é uma grande falha mas de facto ainda não li o Viver para Contá-la. Tenho imensa curiosidade mas ainda não surgiu oportunidade de pegar nele. Pode ser que durante as férias o adquira e me sinta inspirada a ler as suas imensas páginas :)

Penso que percebo o que tentas explicar. Podia pensar-se que isso estivesse de alguma forma relacionado com o facto de GGM ser tão conhecido e adorado porque, por vezes, o peso dos prémios e do consagrado sucesso, pode ser um factor de pressão e até de distanciamento.
No entanto, tendo em conta que já leste a maioria dos livros dele, penso que o cerne da questão está no género e estilo do autor.

Na minha (suspeita) opinião, isso é apenas revelador da fantástica capacidade de GGM pois mesmo não se gostando da história ou dos elementos do realismo mágico, existe sempre algo de especial e fantástico na escrita crua do autor :)

azuki disse...

boa, iceman!

conseguiste ler As Benevolentes ;)

Iceman disse...

Lol.

Que martírio!

;D

azuki disse...

;D

faz como nós, lê sobre África! lê o melhor livro que eu já encontrei sobre aquele continente: "Ébano – Febre Africana", de Ryszard Kapuscinski (Campo das Letras). vais amá-lo

beijinho

Butterfly disse...

Iceman!

Como sabes, García Márquez é um dos meus escritores preferidos ... a sua escrita é mágica, envolvente e única ! ;)

Também já li "Crónica de Uma Morte Anunciada" e, apesar de saberes desde o início da sua morte, no decorrer da leitura existem alguns instantes em que surgem algumas dúvidas, o que não deixa de ser genial !