sexta-feira, 7 de agosto de 2009

Fio da Navalha (O) - Somerset Maugham


A acção do livro passa-se entre Chicago e Paris nos anos vinte e trinta do século XX.

Somerset Maugham, ele próprio narrador participante, oferece-nos a história de vários personagens que se interligam em torno do personagem central: Larry Darrel, jovem americano que vê o seu melhor amigo morrer para lhe salvar a vida.

Este acontecimento dá o mote para este brilhante romance.

Larry questiona-se acerca do sentido da vida.

Esta questão Maugham coloca-a em contraponto com a futilidade diárias de outros fascinantes personagens que, com as suas histórias, vão-nos dar um fresco da superficialidade e mesquinhez do jet-set europeu e norte-americano, cujas vidas banais são elas próprias representativas da decadência que já se percebia.

Maugham é brilhante na exploração desses dois universos antagónicos. O primeiro um universo místico, onde a busca do sentido da vida, do imaterialismo, do desapego, da tentativa de encontrar um sentido para a existência é explorado através das andanças e descobrimentos de Larry. O outro, um universo materialista, elitista, onde o status é condição sine qua non para ser alguém é também ele brilhantemente explorado pela personagem de Elliot, ela também soberba.

A mediar estes mundos temos o próprio Maugham que, com a sua sensibilidade e experiência de vida, vai colectando informações, conversas e confissões que, ligadas entre si, fazem desta obra algo de verdadeiramente soberbo.

Quem terá sido, na vida real, Larry Darrel?

Sim, questiono quem terá sido, porque, no meu íntimo, não duvido nem um minuto na realidade desta história. Até porque Maugham narra os factos que conhece, deixando-nos adivinhar o resto, deixando sempre no ar possibilidades, conjecturas.

Somerset Maugham é um escritor genial e este livro, não sendo aquele que mais gostei do escritor, é ele, por si só, uma pérola da literatura universal.

Classificação: 6

8 comentários:

Ana disse...

Concordo contigo!!!

Bjs*

Paula disse...

Olá Iceman,
Um 6??
Lá vai mais um para a Wish list :)

A Estudante disse...

Este livro marcou-me imenso. faz parte da minha lista de livros preferidos. Adoro o escritor. Dele li também "Exame de Consciência" um livro fenomenal.

Queirosiana

Iceman disse...

Grande livro Ana, grande e soberbo livro.

Iceman disse...

Sim Paula, um seis.

Aliás, parece-me que qualquer livro de Somerset Maugham é digno de um 6 ou, no mínimo de um 5.

Li em duas horas "Paixão em Florença" e adorei.

Agora estou em pulgas para ver os filmes.

Filipe de Arede Nunes disse...

É um dos melhores livros que li até hoje. Acho que Maugham é um génio e é um privilégio ler as suas obras.

Cumprimentos,
Filipe de Arede Nunes

Pedro disse...

Pois é... Como já sabes, depois de ler "Paixão em Florença", fiquei em pulgas por ler outros de Maugham!

Este será o próximo. Seguido de Servidão Humana. Espero que sejam tão marcantes quanto prometem!

Iceman disse...

Este "fio da navalha" é uma excelente obra um clássico, mas, na minha opinião, fica a léguas da "Servidão Humana".

Eu costumo dizer, e penso que já to disse, que "Servidão Humana" está no meu top-5.