domingo, 16 de maio de 2010

Biografia de Sherlock Holmes (A) – W.S. Baring-Gould


Sherlock Holmes é um ícone da literatura e, atrevo-me a dizer, do meio da investigação criminal.

Figura criada em 1887 por Sir Conan Doyle, o sucesso foi imediato. Para além de elevar a arte de detective particular a patamares nunca alcançados, Doyle conseguiu criar uma vedeta internacional e o mais curioso é que essa personagem nunca existiu.

Mesmo mais de 100 anos depois do fim das suas aventuras, é impossível não nos deixarmos entusiasmar e impressionar pelos casos criados e pelo carisma da personagem, facto que quanto a mim, é um dos principais razões do sucesso.

No entanto o fascínio de milhões de leitores fez com que a obra de Conan Doyle começasse a ser analisada ao pormenor. Esquecendo-se, ou talvez não, tratar-se de uma figura ficcional muitos começaram a apontar falhas nas histórias, vícios secretos e até segredos que não abonavam muito a favor de Holmes, alterando até um pouco a imagem imaculada de Holmes.

Em “A Biografia de Sherlock Holmes”, W.S. Baring-Gould simplesmente preenche, ou procura fazê-lo, todas as lacunas deixadas em aberto por Sir Conan Doyle.

Toda a biografia, embora obviamente ficcional, procura mostrar-se real, chegando ao ponto de mostrar imagens dos personagens como se de figuras reais se tratassem.

Iniciando-se no nascimento de Sherlock Holmes, é aqui narrado a sua infância, a sua família e como ele chega a detective particular. A vida de Sherlock Holmes é desvendada como a de um simples homem que nasce com um dom e uma enorme capacidade de observação.

Sendo eu um admirador de Sherlock Holmes (confesso que li mais de uma vez todas as suas aventuras e tenho em DVD a célebre série da BBC com Jeremy Brett como protagonista no papel de Sherlock Holmes), fiquei fascinado com a imensa capacidade e simplicidade com que Baring-Gould escreve esta biografia.

Passo a explicar:

Fundamentalmente esta biografia parece ter sido escrita pelo próprio Conan Doyle. O estilo é o mesmo, até a forma como o detective faz as suas observações são semelhantes, denotando uma imensa pesquisa e análise à obra de Conan Doyle por parte de Baring-Gould. Depois o escritor para escrever esta biografia, para criar todo um passado de Holmes e até alguns factos futuros, faz algo que é óbvio mas que nunca ninguém o tinha efectuado, simplesmente ele utiliza as próprias informações que Conan Doyle ia atirando sobre Holmes e até Watson em cada uma das suas aventuras.

Conan Doyle em cada aventura desvendava novas facetas. Algumas inesperadas, mas ia preenchendo ou dando dicas sobre a família de Holmes, os seus amigos, as suas manias, etc. Baring-Gould colecta todos esses factos e preenche-os, dá-lhes conteúdo, é como uma ponta de novelo que começa a desenrolar, explora os factos criados pelo próprio Conan Doyle. Brilhante!

Brilhante também, e penso que é o primeiro escritor a fazê-lo, coloca Sherlock Holmes a investigar e a descobrir a identidade de Jack “O Estripador”, célebre assassino que aterrorizou as ruas de Londres em 1889, precisamente na época em que a reputação de Sherlock Holmes estava em alta. E a descoberta da identidade, pese embora não tenha achado que tivesse sido muito complicada, tem o condão de surpreender pela identidade do assassino e curioso como nunca foi avançada essa hipótese, embora faça todo o sentido.

Em suma, é um livro muito interessante, uma espécie de esticar das aventuras originais de Holmes onde todos se irão deleitar com a sua enorme capacidade na arte da lógica dedutiva, assim como em conhecer factos nunca conhecidos e que surpreenderão.

3 comentários:

tonsdeazul disse...

Apreciei bastante esta tua opinião. Fiquei com vontade de ler esta biografia de Holmes só de ler estas tuas palavras tão entusiasmantes! :)
Não sei se já referi anteriormente, mas esta capa faz com que o livro seja ainda mais apelativo!
Não reli as aventuras de Sherlock Holmes, porque não tenho o hábito de reler livros, mas aprecio imenso as histórias de Sir Conan Doyle e sempre que passam séries ou filmes tento não os perder.

Iceman disse...

Viva tonsdeazul.

Eu então confesso que releio muitos livros. Por vezes são tantas as banhadas que prefiro voltar a "portos" conhecidos.

Em todo o caso esta biografia é excelente em diversos sentido, sobretudo, admito, para os apreciados das aventuras de Sherlock Holmes.

Landslide disse...

Olá Iceman! Tenho uns selinhos para ti no meu blog...

Beijinhos