segunda-feira, 16 de agosto de 2010

Senhores do Norte (Os) – Bernard Cornwell


“Os Senhores do Norte” é o 3º volume da saga “Saxónica” e, à semelhança dos antecessores, o autor desenha-nos todo um cenário violento e cruel onde a lei se fazia pela espada e pela honra.

Embora romanceado, sabemos que esta história é fortemente baseada em factos verídicos, aliás, o segredo de Cornwell é precisamente o de saber conjugar ficção com realidade, fundindo-a, confundindo o leitor que fica sem saber onde começa uma e acaba outra tal o realismo das suas narrativas.

Mas convenhamos, não é nada fácil escrever uma obra destas. Sendo eu um leitor de quase todas as suas obras, constato que ele sabe descrever épocas e acontecimentos através dos poucos documentos, sabe pesquisar, procurar na arqueologia dados que fundamentem as obras, dando vida a épocas cuja memória se perdeu no tempo, reconstrói essas épocas e é sublime na forma como transporta o leitor para esses cenários fazendo-os parte integrante. Bernard Cornwell é mestre nessa fusão, um exímio contador de histórias que utiliza um estilo cinematográfico que emociona, cativa e excita.

Neste 3º volume, Uhtred continua o seu caminho para recuperar as suas terras usurpadas pelo seu tio e vingar a morte do seu pai adoptivo. Nascido saxão, Uhtred foi criado por vikings e encontra-se quase sempre dividido entre a lealdade ao seu rei saxão e a lealdade a um povo que ele tanto gosta, os dinamarqueses. Nessa perspectiva, Bernard Cornwell dá-nos a conhecer o modo de vida dos saxões e dos dinamarqueses.

Parte integrante da obra e como não podia deixar de ser dada a sua influência, a igreja ou o sistema cristão que na época já estendia os seus corruptos tentáculos por toda a ilha,

Cornwell explora esse facto muitíssimo bem, dando-nos uma perspectiva da influência cristã e da sua asfixia ao paganismo que, curiosamente, foi beber tantas das suas crenças sendo isso já perceptível.

A fórmula de Cornwell é a do costume: o narrador, que velho se propõe a narrar os importantes acontecimentos que tomou parte. Muita violência, dados que são lançados nos finais dos capítulos e um ritmo narrativo brutal que, diga-se, é algo que me encanta em Bernard Cornwell.

2 comentários:

akele.garoto disse...

ola
sabe eu vivo nesse blog e nunc acomentei nada,mesmo assim acho um dos melhores blogs de livros,é um blog delicioso...

mais entao queria saaber se vc tem skoob???

caso nao conheça,é um site de relacionamentos pra quem curte livros,da pra criar uma estante digital colocar os q vc ja leu e os q deseja ler entre outras coisas comentar sobre o livro e tal,o site é uma delicia de mecher se tiver ou fizer me adiciona meu link é esse:http://www.skoob.com.br/usuario/220357

beijo

André Chambel disse...

Já saiu o Quinto Volume desta Série.
O Quarto é "A Batalha de Londres".
Bom, no estilo inconfundível de Cornwell