sábado, 23 de março de 2013

D. Manuel II, O Último Rei de Portugal – Ricardo Mateos Sáinz de Medrano


A forma como muitas vezes nos contam os últimos episódios da monarquia em Portugal, faz crer que a monarquia acabou no dia 1 de Fevereiro de 1908 aquando do regicídio que vitimou o rei D. Carlos e o seu primogénito, D. Luís Filipe.

Porém, e como muitos decerto sabem, a monarquia apenas caiu no dia 5 de Outubro de 1910, logo, desde o assassinato de D. Carlos passaram-se 32 meses em que o rei de Portugal, e último, foi D. Manuel, segundo filho de D. Carlos e de D. Amélia.

Forçado ao exílio depois da queda da monarquia, D. Manuel II foi viver para Inglaterra, iniciando um trajecto muito peculiar que teve sempre como maior propósito honrar Portugal e a sua casa dinástica, tendo sempre a esperança de voltar e ocupar o trono. Porém, o tempo foi passando e D. Manuel começou a agir de forma algo incongruente, revelando-se um homem impreparado para ser quem era.

Porém D. Manuel II foi sempre um grande português e um grande patriota e toda a sua trajectória, após o exílio, está muito bem explicado nesta obra e ressalva uma série de pormenores totalmente desconhecidos dos portugueses, sobretudo e isso foi algo que entendi na parte final, o rei foi mal compreendido pelos monárquicos e a sua atitude, muitas vezes de aparente desinteresse, foram sempre em prol da nação.

Em todo o caso o livro explica quem foi D. Manuel II e a sua obra.

É um livro muito bem elaborado e estruturado. Tem diversas fotografia de diversos capítulos de um rei que morreu jovem, com 42 anos, e de uma forma estúpida, até para a época.

1 comentário:

helena frontini disse...

Efetivamente, pouco se fala desse lapso de tempo.