sexta-feira, 12 de junho de 2015

Lisboa é linda!



Agora que está a chegar os santos populares em Lisboa, a minha Lisboa, a minha cidade que, agora que moro fora vejo que está muito enraizada no meu Ser, faz parte da minha essência, mas enfim, saudosismos à parte e agora que está a chegar a noite de Santo António, questiono: porquê que as televisões só mostram Alfama quando falam nos Santos populares de Lisboa?

Não me venham com tretas dizendo que é o bairro mais popular, Há outros bairros onde se festeja os santos e não ficam nada a perder para Alfama.

Pode ser considerado, de facto, o bairro mais antigo de Lisboa (eu discordo), mas e os bairros da Graça (o meu bairro), Mouraria, Castelo, Alcântara (vivi lá três anos), Alto Pina, São Vicente de Fora e outros?

Adoro sobretudo Lisboa no seu conjunto, para mim não há bairrismos. Sinto-me bem assim que me aproximo de qualquer das pontes e entro em Lisboa e sinto-me triste quando saio.
Lisboa é linda e única. 

Agora percebo quando se diz que Portugal é Lisboa e o resto é paisagem. Por muito que custe, é assim mesmo e só vivendo lá se compreende isso.

Lisboa é linda e o Santo António a sua festa por excelência!

3 comentários:

Teresa Silva disse...

Confesso que ainda tenho a esperança de visitar Lisboa durante a noite dos Santos populares!

Bjxxx

Pedro Tavares disse...

Partilho desse amor. De facto, não há bairros, e uma pessoa que já se tenha "perdido" pelas suas ruas compreende-o.
Lisboa tem alma, uma muito sedutora, apesar de preencher o espírito de muita nostalgia... Mas completa-nos. Há muitas cidades com muito encanto (Évora é o meu exemplo!), mas Lisboa respira e é.

Só tenho pena de não me sentir tão seguro e despreocupado quanto já me senti (em grande parte pelo azar de experiências).
Quanto aos Santos, confesso, não ligo muito. Nem à festa em si, que de tão preenchida chega a ser sufocante, e que mesmo não se concentrado em Alfama já não se estende tanto pela cidade quanto deveria.

Iceman disse...

Hoje em dia os santos populares estão muito comerciais e por vezes mais parecem a festa da cerveja. No entanto eu sou do tempo em que saia de casa com um copo na mão e, em companhia de amigos, corríamos a Graça, Castelo, Mouraria, Bairro Alto, Alfama, Bica e outros bairros, bebendo vinho e comenda sardinhas sem pagar um tostão, pois eram oferecidos por moradores desses bairros que se juntavam para fazer a festa.
Hoje em dia parece que os santos apenas se comemoram em Alfama, quando, sei, que em todos os outros bairros isso sucede.
Sobre a nostalgia, enfim, agora que moro fora de Lisboa, sinto enorme saudades da cidade. Mas pronto, é uma questão de tempo até voltar.