quarta-feira, 15 de junho de 2011

Vizinho (O) – Lisa Gardner


Já aqui referi não ser o género policial um género que me entusiasme por aí além.

Tenho lido vários ao longo dos anos e fico sempre com uma sensação de insatisfação face à pobreza do argumento e até uma certa nostalgia de algo que me leva a insistir nos policiais: Sherlock Holmes e Alfred Hitchcok, referências da minha infância.

Ou seja, Sherlock Holmes foi uma das minhas primeiras referências literárias e, confesso, que continuo a insistir no género porque tenho sempre esperança de encontrar algo semelhante.

Debalde!

Este “Vizinho” prometia pela sinopse e, não sendo um mau livro, é algo sensaborão, ficando nós com a sensação de vazio porque as expectativas saem algo goradas face ao desenrolar da história.

Uma jovem mulher desaparece misteriosamente de sua casa durante a noite. O marido chega a casa de madrugada e, só algumas horas depois, se resolve a dar parte desse desaparecimento. Em cena entram os detectives que se deparam com um cenário calmo, sem qualquer tipo de rasto e com apenas uma suposta testemunha. A filha de 4 anos que estava em casa e que, aparentemente, ouvi algo. O comportamento do marido é estranho; alheado do sucedido, desde logo é tido como suspeito, porém, nem tudo o que parece é…

Ora bem, não posso afirmar que não gostei. Gostei, mas ficou aquém das minhas expectativas iniciais.

A escrita é simples e objectiva. A autora vai desvendando a vida pessoal dos principais protagonistas de forma a se interligarem. A estrutura da obra também é agradável e até algo inovadora, no entanto e à semelhança da maioria dos policiais, o ritmo da narrativa é vagaroso e isso é algo que me incomoda nos policiais. Penso que na sua maioria a história seria perfeitamente narrada em metade das páginas. Geralmente a história arrasta-se em situações semelhantes, clichés e factos sem ou com pouca objectividade, sendo o epilogo até surpreendente e que tornam esses policiais agradáveis.

Aqui passa-se um pouco isso, no entanto achei o epilogo deveras interessante e deu sentido a factos que até considerei pouco relevantes.

Um bom policial que vai de certeza agradar aos amantes do género.

1 comentário:

ALINE T.K.M. disse...

Gosto do gênero policial e achei a resenha bem interessante. Não conhecia o livro, apesar dos pontos negativos mencionados, acho que valeria a pena lê-lo.