domingo, 31 de julho de 2016

Por falar em respeito pela opinião de cada um,

ciou-se uma celeuma pelas declarações do psicólogo Quintino Aires sobre os ciganos, afirmou ele: "a etnia cigana não está integrada em Portugal, invadem as escolas, invadem os hospitais e não respeitam regra absolutamente nenhuma", que "não respeita as normas do país onde vive" e que "a maioria vive dos subsídios ou trafica droga e não trabalha".

Obviamente como estamos em Portugal e há gente que não gosta de ouvir as verdades, surgiram logo uma série de arautos da verdade dizerem "daqui del rei, que treta, pois é sabido que os ciganos respeitam tudo e todos, são exemplares, nada racistas, que se fartam de trabalhar, contribuem para a sociedade, fazem os seus descontos, enfim, são gente séria e exemplar"

Obviamente que surgiu logo a Comissão para a Igualdade e Contra a Discriminação Racial (CICDR, que nunca surge quando há problemas com minorias a proferirem que se devia consagrar cada cigano a exemplo a seguir e que esse Quintino é um racista de primeira apanha que devia ser excomungado, queimado vivo ou então ser degredado para o deserto de Lut.

Em todo o caso quem um dia precisou de alguma coisa da Segurança Social, depois de dezenas de anos de descontos, quando essa organização abutre lhe fechou as portas e lhe disse na cara: "não tem? Azar, morra para aí", percebe o que esse Quintino quer dizer, até porque um dia normal na Segurança Social é atender os ciganos sérios em busca de subsídios. Coitadinhos. Eu por mim, até fazia mais, por cada cigano, para além da casa e subsídio/cada de 2000€, é pouco CICDR?, ok, 3500€, dáva carro e férias trimestrais em qualquer ilha paradisíaca à escolha de cada família.

A verdade custa ouvir!

2 comentários:

Maria Castro disse...

Concordei absolutamente com o Dr. Quintino Aires quando o ouvi dizer isso no programa do Goucha.Os ciganos não se integram porque não se querem integrar, mas exigem todos os benefícios à força e aos gritos. Nas escolas primárias tornam as turmas num inferno. E mesmo na minha, onde os meus filhos andaram, só haviam lá dois irmãos, o de 15 já estava " noivo " e quando um colega lhe perguntou algo sobre isso espancou-o no recreio. A irmã, andava no 1º e depois 2º ano e a mãe estava lá todos os intervalos para estar com a filha e levar-lhe o lanche, não lhe dando oportunidade de conviver com as demais crianças, que estavam desejosas de brincar com ela.

Miguel Chaica disse...

Olá Maria!
Eu digo, e quem não gostar, paciência, faça que não ouve, que os ciganos, na sua maioria, são gente abutre que não se integra porque não querem e apenas acham que têm direitos e ainda por cima gozam com os outros cidadãos que contribuem.
É vê-los na Segurança Social, Hospitais e afins, a gozar o prato.
E depois vem essa escumalha da CICDR criticar quem "ousa" dizer o que a grande maioria de nós pensa?
Escumalha!